A eletroestimulação não funciona

Porque é que a eletroestimulação não funciona?

Ontem recebi um email de um rapaz que era praticante de Futebol e que queria ganhar velocidade nas pernas. Para isso tinha recorrido à eletroestimulação e tinha começado a treinar com o programa “Força”. A intensidade alcançada foi muito baixa, não chegou quase a 70 e acima disso ficava com algumas dores musculares tremendas. Precisamente no dia que me escrevia, era o sétimo desde que treinou “Força” com o seu eletroestimulador e ainda tinha uma sensação de mal-estar nas pernas.

Perguntava-me no seu email, uma e outra vez que si a eletroestimulação é tão boa, porque é que não tinha funcionado com ele?

Para que todos façamos uma ideia, colocarei vários exemplos para que possamos ver a verdadeira razão pela qual a eletroestimulação não funciona.

  • Já alguma vez viu um ciclista começar a época em novembro, fazendo séries de sprint em subidas?
  • Já alguma vez viu um futebolista começar a época em agosto com treinos explosivos e intensos?
  • Já alguma vez viu um corredor de running começar a época fazendo séries de 100 metros?
  • Já alguma vez viu alguém começa a treinar no ginásio, e que no primeiro dia e sem aquecer levante 90 kg no peito?

A verdade é que não? E se vir algum a fazer este tipo de treino no início da época, pode ter a certeza que não ficará bem de forma a meio da competição e será uma presa fácil das lesões ou do treino excessivo.

Pois o mesmo acontece com o treino com eletroestimulação. Não podemos começar a casa pelo telhado, não é por acaso que os músculos que treina o eletroestimulador não são os mesmos que treina de maneira voluntária?

O treino voluntário tem uma sequência de trabalho que o que fará será adaptar o músculo ao esforço e pouco a pouco fazê-lo crescer para que seja mais resistente e mais forte e potente. Com uns músculos bem treinados cansar-nos-emos menos e renderemos mais.

O mesmo acontece com a eletroestimulação. Temos que ir alternando diferentes programas e diferentes sequências de trabalhos em função do momento da época que nos encontremos, e ir variando os programas do nosso eletroestimulador de acordo com a nossa evolução para que desta maneira os nossos músculos se adaptem ao esforço e sejam mais resistentes, fortes e potentes. Assim e apenas assim, fazendo bem as coisas, conseguiremos o objetivo desejado e excelentes resultados com a ajuda da eletroestimulação.

Mas cuidado, que escolher um programa errado de eletroestimulação de acordo com o momento da época será a mesma coisa que fazer séries de subidas no inverno, ou sprint de 100 metros no início de época, ou ainda tentar levantar 90 kg no peito no primeiro dia de ginásio.

Assim a próxima vez que ouvir a pergunta Porque é que não funciona a eletroestimulação? ou a afirmação redundante que em muitos fóruns se pode ler a eletroestimulação não funciona saberá qual é a resposta

porque não a utiliza adequadamente”.

Seja Feliz

Pedro García