Eletroestimulador compex e o Cabo-MI

Eletroestimulação Compex com cabo MI. Não se mexa na fase de diagnóstico

Uma das melhores coisas que possui a eletroestimulação é que existem eletroestimuladores que podem personalizar totalmente a sessão de treino dos seus músculos, uma vez que estes não estão nas mesmas condicões quando estão pressionados ou quando estão relaxados, quando estão perfeitamente hidratados ou quando estão desidratados. Os músculos possuem “personalidade própria”, de acordo com o seu estado.

Alguns eletroestimuladores oferecem a possibilidade de personalizar totalmente a sessão de eletroestimulação, de acordo com a situação atual dos seus músculos. Por exemplo, o compex, com o seu cabo MI (Muscle Intelligence), oferece-lhe essa possibilidade, adaptando a cronaxia ou amplitude de impulso de cada programa à situação presente dos seus músculos.

Esta é uma ferramenta fantástica para otimizar ainda mais os treinos e retirar mais rendimento num menor tempo, mas…

O que acontece se o diagnóstico dos músculos não for bem realizado?

Pois é muito simples: a eletroestimulação não será totalmente eficaz, como deveria ser e estaremos a desperdiçar esse treino. Não quer dizer que não estejamos a treinar, mas sim que poderíamos treinar de uma maneira mais eficiente se esse diagnóstico tivesse sido correto.

Estou a afirmar que o cabo MI pode fazer diagnósticos incorretos?

A resposta é SIM.

Não por causa do cabo e da tecnologia em si, mas por nossa culpa.

Eu explico. Se no momento em que o cabo MI está a fazer o diagnóstico para averiguar a quantidade de eletricidade que tem que enviar aos nossos músculos, e nos movermos, tensionamos o grupo muscular onde se está a fazer o diagnóstico. Ou se fizermos algum movimento estranho, isso fará com que o nosso músculo esteja mais duro ou com mais tensão, esteja mais longe do cérebro, mais ou menos desidratado… em suma, dará uma leitura errada da situação exata do músculo e por conseguinte a cronaxia será errónea. Deste modo, esse treino não se estará a realizar com a exata quantidade de eletricidade que necessita esse músculo para reagir com total eficácia.

Para que isto não aconteça, o melhor é que quando o cabo MI está a fazer o diagnóstico do músculo a eletroestimular, não se mexa. Esteja totalmente quieto e com o músculo em questão relaxado.

Deste modo, a cronaxia resultante do diagnóstico muscular será a perfeita para aproveitar ao máximo a sua sessão de eletroestimulação.

Se vamos fazer as coisas, que as façamos bem feitas. Deste modo, teremos melhores resultados.

Seja Feliz

Pedro García