nao-altere-a-fase-de-recuperacao-entre-cada-contracao

Eletroestimulação e a sequência de descanso

Um bom amigo de www.electroestimulacaodesportiva.com pede-me o seguinte conselho:

“Olá Pedro:

Treino há várias semanas com o meu eletroestimulador, no programa Resistência e noto que a cada dia que passa as minhas pernas estão piores. Quando corro, não sou capaz de encadear vários dias bons de treino porque acabo sempre muito cansado.

Estou a treinar com o programa Resistência no ciclo 2, três vezes por semana. A intensidade em que me movimento são as 90 energias na sequência de força, ou seja, quando o eletroestimulador aperta, diminuo para zero para que o eletroestimulador fique na sequência de descanso.

O que posso estar a fazer mal?”

E fez-me também outra pergunta

 

“Olá Pedro:

A sequência de descanso que tem o meu compex; essa, subo-a na mesma intensidade que a sequência de trabalho. Certo?  Assim treinarei melhor os meus músculos. Não?

Obrigado”

 

Bem, para que saibam, meus caros amigos de EletroEstimulação Desportiva, tanto uma coisa como a outra estão mal feitas.

Quando realizamos treinos de força com o nosso eletroestimulador, a intensidade de relaxamento ou de descanso NÃO SE ALTERA a não ser que tenha parado o treino a meio da sessão e a intensidade de relaxamento tenha parado. Se alterar a intensidade de relaxamento, no máximo é necessário aumentá-la para metade da intensidade da fase de contração, ou seja, se está a treinar a  50 energias, a fase de relaxamento (lembre-se que a fase de relaxamento é a que existe entre cada contração) terá que estar no máximo a 25 energias.

Um programa de treino de eletroestimulação, sem contar a sequência de aquecimento nem a de retorno à calma, consta de duas fases. A fase de contração, na qual os nossos músculos estão a trabalhar, e a fase de relaxamento, na qual damos descanso aos nossos músculos para que se recuperem. O tempo de cada fase vai depender do programa selecionado. Por exemplo os programas que trabalham as fibras lentas, terá até 8 segundos de contração contra 2″ de relaxamento, e os programas que trabalham as fibras rápidas terão 2 segundos de contração e até 30″ de relaxamento.

Quando realiza um treino com eletroestimulação, o trabalho a que está a submeter os seus músculos é muito superior ao voluntário (sempre que lhe aplica a intensidade adequada). É por isso que os seus músculos necessitarão de descansar entre cada contração, e para que esse descanso e recuperação está preparada a fase de relaxamento, para dar descanso e bombear o sangue para os seus músculos ajudando-os assim a que se recuperem entre cada contração. Se não respeitar esta fase e continuar a aumentar a intensidade de descanso ou a coloca-la a zero, estará a sobrecarregar a zona eletroestimulada, pelo que é muito possível que não faça um treino eficaz.

Lembre-se uma vez mais.

QUANDO TREINAMOS, A FASE DE RELAXAMENTO ENTRE CADA CONTRAÇÃO,  NÃO SE ALTERA

Outra coisa diferente serão alguns programas de reabilitação para certos incómodos e dores nos que teremos de baixar para zero a fase de relaxamento, mas esse tema tratá-lo-emos noutro artigo.

Seja Feliz

Pedro García